Bookmark and Share

Brasília, 08 de outubro de 2012.- "O reconhecimento dos resultados eleitorais em tempo recorde honra nosso trabalho e confirma o imenso valor de uma tecnologia de votação segura e auditável, que é reconhecida por todas os representantes políticos". Essas foram as palavras de Antonio Mugica, diretor executivo da Smartmatic, a empresa que forneceu a tecnologia usada pelos eleitores da Venezuela, que escolheram seu presidente para o período de 2013-2019.O evento, realizado na Venezuela no último domingo, 7 de outubro, foi tecnicamente inovador: pela primeira vez no mundo, as eleições nacionais foram realizadas com autenticação biométrica dos eleitores para ativar as máquinas de votação. "Já em 2004, realizamos a primeira eleição nacional em todo o mundo, com cédulas de votação impressas. Ontem, provamos continuar a ditar as tendências, ao promover a primeira eleição com ativação biométrica das máquinas de votação", acrescentou Mugica.Este marco eleitoral tecnológico é resultado das iniciativas do Conselho Eleitoral Nacional da Venezuela (CNE), que trabalhou com a Smartmatic como fornecedora de tecnologia, automatizando com sucesso todas as etapas da eleição. A total automação do processo eleitoral, de ponta a ponta, revelou tratar-se de procedimento inviolável do ponto de vista técnico, além de não permitir interpretações ou manipulações. De acordo com Mugica, "apenas quando o processo é automatizado de ponta a ponta e a tecnologia auditável e exata, pode-se garantir a aceitação dos resultados por todos, independente do grau de confidencialidade".A Smartmatic é a empresa de tecnologia eleitoral que desenvolve a maioria dos projetos de eleições em todo o mundo. "Neste último domingo, precisamente, participamos também das eleições municipais brasileiras. No próximo domingo, teremos responsabilidades importantes nas eleições da Bélgica. Podemos dizer que, em apenas oito horas, atendemos a quase cento e setenta milhões de eleitores em todo o mundo", afirmou Mugica.Conclusões essenciais sobre a eleição venezuelana• A solução eleitoral da Smartmatic foi utilizada em escala nacional pela décima vez na Venezuela, em um processo de ponta a ponta, 100% automatizado.• Dos 18.903.143 cidadãos registrados para votar nas eleições presidenciais, o comparecimento às urnas foi cerca de 81%, um recorde na história eleitoral venezuelana.• A Venezuela adotou o novo sistema de autenticação biométrica de eleitor pela primeira vez, além de uma urna eletrônica recentemente projetada integrada às 39.018 máquinas eleitorais, que foram instaladas nos 13.810 centros de votação.• O CNE publicou os resultados oficiais poucos minutos após o encerramento das seções de votação.• O total das auditorias executadas em cerca de 21.000 máquinas (53%) no final do dia eleitoral, confirmou os resultados de maneira fiel.

Key conclusions of the Venezuelan election
• Smartmatic’s electoral solution was employed on a national scale for the 10th time in Venezuela, in an end-to-end 100% automated process.  
• Out of 18,903,143 citizens registered to vote in the presidential elections, voter turnout was around 81%, record figures in Venezuelan electoral history.
• Venezuela used a new biometric voter authentication system for the first time, as well as a newly designed e-ballot working in unison with the 39,018 voting machines that were deployed in 13,810 polling centres.  
• The CNE published official results only minutes after the last polling station closed.
• The total of the audits performed on some 21,000 machines (53%) at the end of Election Day, faithfully confirmed the results.